quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Corpo de Bombeiros de Campos, RJ, quer mais rigidez na venda de gás


Um em cada cinco botijões comercializados é irregular.
Prejuízo anual pode chegar a R$ 800 milhões às revendedoras legalizadas.

O Corpo de Bombeiros de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, participou nesta quarta-feira (21) de uma reunião com setores da segurança pública para promover mais rigidez na fiscalização da venda de botijões de gás no Norte Fluminense.

O objetivo é chegar a um consenso e começar uma fiscalização mais ativa, já que existe uma lei estadual que regula a venda e a distribuição de gás de cozinha.

De acordo com dados do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidores de Dás (Sindgás), um em cada cinco botijões comercializados é irregular, o que equivale a um prejuízo anual que pode chegar a R$ 800 milhões às revendedoras legalizadas.


sábado, 17 de agosto de 2013

“A Copagaz é a única empresa do setor que reconhece o canal de distribuição de gás LP”



Terminou na última sexta (16/08) o 4º Enagás (encontro Nacional de Gás LP, que aconteceu no Royal Tullip, em São Conrado/RJ .

O gerente Geral de unidade de negócios da COPAGAZ do estado do Rio de Janeiro, Ricardo Pontual, que está sempre atento a tudo que envolve o mercado de GLP, esteve rapidamente no evento, e foi entrevistado pela equipe do site IJ Assessoria Gás GLP.

Foi uma conversa bastante descontraída, onde Pontual explicou a política de comercialização da empresa em relação aos seus representantes, visando sempre garantir um bom posicionamento e competitividade nas áreas de atuação.

“O Rio de Janeiro é considerado o terceiro maior mercado de GLP no Brasil, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais”. “Podemos crescer muito mais, pois há espaço para isso”. “No ano de 2012 o Brasil consumiu sete milhões de toneladas de GLP e muitos empregos foram gerados pelo mercado”, disse ele.

Ricardo Pontual nos relatou a vitoriosa e reconhecida trajetória da empresa: “A Copagaz, primeira empresa do Grupo Zahran, que começou suas atividades distribuindo uma tonelada de GLP por dia nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e hoje é a 5º maior distribuidora do País”, acentuou.


 “A Copagaz é a única empresa do setor que reconhece o canal de distribuição de gás LP, através de representantes como o melhor caminho para atender o consumidor. Quem está com a Copagaz há 55 anos, bem como nossos novos parceiros, sabe a diferença e os benefícios de uma estrutura planejada e voltada para mercado. A prova é que hoje contamos com milhares de Revendedores em todo o país”.

“O executivo acentuou a responsabilidade de ser gerente geral de unidade de negócios de uma empresa, que tem como missão atender às necessidades de energia de um número crescente de pessoas e empresas, com qualidade e a preço justo. Respeitar o meio ambiente, ser leal com seus parceiros, gerar satisfação para os empregados, defender a rentabilidade e o crescimento esperado pelos acionistas e apoiar sua rede de distribuição de tal forma que, aos usuários finais de GLP seja garantido o fornecimento com conforto, praticidade, segurança e rapidez”, completou.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Copagaz investe no mercado GLP do Rio


A Copagaz, quinta maior distribuidora de GLP (gás de cozinha) do país, investe R$ 5 milhões para ampliação de sua operação no Rio de Janeiro, realizada por meio de filial instalada em Duque de Caxias. O valor está sendo aplicados na aquisição de novos tanques de armazenagem, importados da Argentina.

Com os novos equipamentos, a distribuidora conseguirá dobrar sua capacidade de estocagem de gás, das atuais 360 toneladas para 720 toneladas. A filial Duque de Caxias, que registra produção anual de 50 mil toneladas por ano, abastece todo o estado do Rio de Janeiro e zona da mata de Minas Gerais. Com o aumento da capacidade, o plant fluminense poderá expandir seu atendimento para outras regiões próximas, como municípios paulistas e mineiros.


O Rio de Janeiro é considerado o terceiro maior mercado de GLP no Brasil, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. O Rio corresponde a 9% do mercado nacional, produzindo cerca de 560 mil toneladas de GLP por ano.